A conjugação dos verbos irregulares na 1.ª pessoa do singular do pretérito perfeito simples do indicativo nos dialetos do português europeu e tipologia das alterações ocorrentes

Variant title
Conjugation of irregular verbs in the 1st person singular of the past simple tense in the dialects of European Portuguese and the typology of its alternations
Source document: Études romanes de Brno. 2018, vol. 39, iss. 1, pp. 95-114
Extent
95-114
  • ISSN
    1803-7399 (print)
    2336-4416 (online)
Type
Article
Language
Portuguese
License: Not specified license
Abstract(s)
O artigo debruça-se sobre alterações da flexão verbal ocorrentes nos dialetos continentais do português europeu. Concretamente, aborda as principais alterações da 1.ª pessoa do singular do pretérito perfeito simples do indicativo dos verbos irregulares, descrevendo-as linguisticamente, incluindo o seu surgimento, evolução e distribuição geográfica. Baseando-se nesta descrição, tenta classificar as alterações da flexão dos verbos irregulares em três tipos básicos: alterações fonéticas, quando a mudança de forma da desinência verbal reflete apenas fenómenos fonéticos gerais que ocorrem em todos os contextos linguísticos do mesmo tipo, não se modificando, assim, o paradigma verbal; depois alterações morfológicas, que são aplicadas propositadamente ou para diferenciar duas formas verbais semelhantes ou ainda para assimilar uma forma verbal a outra já existente, considerada prototípica; e, finalmente, alterações morfonológicas, quando se aplica uma alteração fonética na desinência ou no radical que depois, por consequência, começa a desempenhar papel distintivo a nível do paradigma flexional.
The paper is dedicated to the alternations of verbal flection in the dialects of European Portuguese. It concentrates on the alternations in the 1st person singular in the past simple tense of irregular verbs and describes them from the linguistic perspective, including information about their origin, evolution and diatopic distribution. Subsequently, the text intends to classify these alternations into three groups. The first one is represented by mere phonetic alternations when the alternations of verbal flection reflect some general phonetic phenomena which appear in all similar linguistic contexts regardless of the word class, having thus no impact on the verb paradigm. The second one includes morphological alternations which are applied deliberately either to differentiate two similar or identical verb forms, or to assimilate a verb form to another form considered prototypical. The third group comprises morphophonetic alternations when an accidental phonetic alternation employed in verbal flection subsequently acquires a distinctive role in verb paradigm.
Document
References:
[1] Barretto, I. F. (1671). Ortografia da lingva portvgveza . Lisboa: Officina de Ioam da Costa.

[2] Barros, M. F.; Carrilho E.; Lobo M., Saramago J.; & Cruz, L. S. (1996). Variação linguística: perspectiva dialectológica . In I. H. Faria, E. R. Pedro, I. Duarte & C. A. M. Gouveia (Eds.), Introdução à Linguística Geral e Portuguesa (pp. 479–502). Lisboa: Caminho.

[3] Boléo, M. P. (1974). Unidade e variedade da língua portuguesa . Estudos de Linguística Portuguesa e Românica, 1, 253–287.

[4] Cintra, L. F. L. (1971). Nova Proposta de Classificação dos Dialectos Galego-Portugueses . Boletim de Filologia, 22, 81–116.

[5] Cintra, L. F. L. (1995). Estudos de Dialectologia Portuguesa . Lisboa: Livraria Sá da Costa.

[6] Cuesta, P. V.; & Luz, M. A. M. (1989). Gramática da Língua Portuguesa . Lisboa: Edições 70.

[7] Cunha, C.; & Cintra L. F. L. (1999). Nova Gramática do Português Contemporâneo . Lisboa: Edições João Sá da Costa.

[8] Hriscina, J. (2015). Vývoj portugalského jazyka . Praha: Karolinum.

[9] Neto, S. (1970). História da Língua Portuguesa . Rio de Janeiro: Livros de Portugal.

[10] Peres, J. A.; & Móia, T. (1997). Áreas críticas da língua portuguesa . Lisboa: Caminho.

[11] Piel, J. M. (1944). A flexão verbal do português (estudo de morfologia histórica) . http://cvc.institutocamoes.pt/hlp/biblioteca/flexao_verbal.pdf

[12] Soalheiro, E. L. (2002). Flexão verbal em Português Europeu: Estudo de padrões flexionais no Português falado no Norte de Portugal com elementos de comparação com o Galego . Dissertação de Doutoramento. Universidade de Lisboa.

[13] Svobodová, P. (2011). Verbální flexe v 1. os. j. č. minulého času prostého a její zeměpisné varianty na území kontinentálního Portugalska . Dissertação de Doutoramento. Univerzita Palackého v Olomouci https://theses.cz/id/j4961i?furl=%2Fid%2Fj4961i;so=nx;lang=en.

[14] Vasconcelos, J. L. (1987). Esquisse d’une dialectologie portugaise . Lisboa: CLUL/INIC.

[15] Vasconcelos, J. L. (1929). Dialectos alemtejanos . Revista Lusitana, IV, 13–77.