Evolução do pretérito imperfeito com valores modais no Português europeu

Variant title
Evolution of the imperfect with modal functions in European Portuguese
Author: Hricsina, Jan
Source document: Études romanes de Brno. 2017, vol. 38, iss. 1, pp. 193-208
Extent
193-208
  • ISSN
    1803-7399 (print)
    2336-4416 (online)
Type
Article
Language
Portuguese
License: Not specified license
Abstract(s)
O objetivo do presente artigo é analisar o emprego do pretérito imperfeito na história da língua portuguesa a fim que se possa verificar qual o período da evolução do Português em que o pretérito imperfeito começou a exprimir os valores modais. A análise é efetuada no corpus linguístico diacrónico www.corpusdoportugues.org.
The aim of this paper is to analyze the use of the imperfect tense in the history of the Portuguese language in order to find out in which period of the evolution of Portuguese the imperfect began to express modal values. The analysis is performed in the linguistic diachronic corpus www.corpusdoportugues.org.
Note
  • Este artigo teve o apoio do projeto da Universidade Carolina Progres 4, A Língua nas mudanças de tempo, espaço e cultura.
Document
References:
[1] Bechara, E. (2009). Moderna gramática portuguesa . Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira.

[2] Cuesta, P. V., & Luz, M. A. M. da. (1980). Gramática da Língua Portuguesa . Lisboa: Edições 70.

[3] Cunha, C., & Cintra, L. (1999). Nova Gramática do Português Contemporâneo . Lisboa: João Sá da Costa.

[4] Hamplová, S. (1996). Stručná mluvnice španělštiny . Praha: Academia.

[5] Hamplová, S. (2004). Mluvnice italštiny . Praha: Leda.

[6] Hendrich, J., Radina, O., & Tláskal, J. (1991). Francouzská mluvnice . Praha: SPN.

[7] Hricsina, J. (2015). Vývoj portugalského jazyka . Praha: Karolinum.

[8] Huber, J. (1986). Gramática do Português Antigo . Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

[9] Mateus, M. H. M. et alii. (2004). Gramática da língua portuguesa . Lisboa: Caminho.

[10] Mattos e Silva, R. V. (1989). Estruturas Trecentistas . Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda.

[11] Mattos e Silva, R. V. (2006). O português Arcaico fonologia, morfologia e sintaxe . São Paulo: Editora Contexto.

[12] Oliveira, F. (1986). Algumas considerações acerca do p. Imperfeito . In Actas do 2º encontro da Associação Portuguesa de Linguística (pp. 78–96). Lisboa: APL.

[13] Raposo, E. P. et alii. (2013). Gramática do Português – Volume I . Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

[14] Said Ali, M. (2001). Gramática Histórica da Língua Portuguesa . São Paulo: Editora Melhoramentos.

[15] Svobodová, I. (2014). Morfologie současného portugalského jazyka II. Sloveso . Brno: Masarykova univerzita.

[16] Tláskal, J. (1984). Observações sobre tempos e modos em português . In Estudos de linguística portuguesa (pp. 237–255). Coimbra: Coleção linguística,.

[17] Zavadil, B., & Čermák, P. (2010). Mluvnice současné španělštiny . Praha: Karolinum.