Verticalidade e horizontalidade entre centro(s) e periferia(s) : as literaturas africanas de língua portuguesa em inglês, alemão e italiano

Title: Verticalidade e horizontalidade entre centro(s) e periferia(s) : as literaturas africanas de língua portuguesa em inglês, alemão e italiano
Variant title:
  • Verticality and horizontality between centres and peripheries : Portuguese-language African literatures in English, German and Italian
Author: Bucaioni, Marco
Source document: Études romanes de Brno. 2022, vol. 43, iss. 2, pp. 11-45
Extent
11-45
  • ISSN
    1803-7399 (print)
    2336-4416 (online)
Type: Article
Language
 

Notice: These citations are automatically created and might not follow citation rules properly.

Abstract(s)
As literaturas africanas de língua portuguesa são produzidas num espaço de dupla perifericidade, na encruzilhada entre o espaço africano e o sistema literário de língua portuguesa, que não é considerada uma das línguas-fonte centrais da literatura mundial. Esta dupla perifericidade cria uma forte tendência para ver a tradução como arma de afirmação e como prémio em si e a circulação das obras em importantes mercados do Norte global como um objectivo fundamental. Neste artigo vamos visar a estrutura dos corpora de traduções para três línguas alvo: inglês (hiper-central), alemão (central) e italiano (semi-periférico). Pretendemos mostrar como a literatura-mundo, salvaguardando a visão hierárquica e anglocentrada (mas não necessariamente anglocêntrica), é um espaço extremamente fragmentado em que o relativo peso de sistemas literários (semi-)periféricos continua a exercer um papel importante nas trocas literárias horizontais, o que em parte compensa a verticalidade das relações mediadas pelo inglês.
Portuguese-language African literatures are produced in a double-peripheral space, at the crossroads of the African literary space and the Portuguese-language literary system. This double peripherality creates a strong tendency to see translation as a weapon of affirmation and as a prize per se and the circulation in Northern global markets as a fundamental objective. This article will focus on the structure of translation corpora into three languages: English (hyper-central), German (central) and Italian (semi-peripheral). We seek to show how world-literature, even inside a hierarchical anglo-centred (but not necessarily anglo-centric) vision, is an extremely fragmented space in which the relative weight of (semi-)peripheral literary systems still exerts an important role in form of horizontal literary exchanges, which partly compensates verticality of English-mediated literary relationships.